Até Temer discute importação de café

VALOR ECONÔMICO, por Cristiano Zaia — O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse ontem ao Valor que a decisão sobre a importação de café robusta foi adiada mais uma vez e ficará para a próxima terça-feira, dia 7. Segundo ele, o assunto chegou até o presidente Michel Temer, que determinou ontem que fosse feita mais uma tentativa de consenso com lideranças políticas e do setor produtivo do Espírito Santo, maior produtor de café conilon (variedade que pertence à mesma família do robusta) no país.

Havia inicialmente a expectativa de que Blairo Maggi apresentasse uma decisão sobre o pedido da indústria torrefadora e de solúvel entre ontem e hoje.

“Ontem estive com o presidente da República, e ele me chamou para falar sobre café. Expliquei toda a situação e ele me pediu para fazer mais uma reunião com o pessoal do Espírito Santo”, disse Maggi, referindo-se às lideranças políticas e do setor produtivo.

“Nossa posição é de flexibilização [pró-importação]. Mas vou aguardar até terça-feira para conversar com as lideranças do Espírito Santo e tentar ajustar uma saída que seja comum”, acrescentou o ministro.

Como mostrou ontem o Valor, o Ministério da Agricultura já tomou a decisão técnica de encaminhar, dentro do governo, a autorização para que o Brasil libere pela primeira vez na história importações de café robusta. Mas o martelo só será batido por Maggi, que voltou à rotina da Pasta ontem, após uma viagem de 15 dias em missão comercial a Europa e EUA.

O ministério tende a recomendar novamente à Câmara de Comércio Exterior (Camex), ligada ao Ministério do Desenvolvimento, que autorize as importações brasileiras de café. A decisão preliminar do Ministério da Agricultura se baseia em levantamento da Conab, que apontou baixo volume dos estoques privados de café conilon no país – de 2,14 milhões de sacas.

O plano é permitir a importação de até 1 milhão de sacas de café robusta pelo prazo de quatro meses (entre fevereiro e maio), atendendo solicitação das indústrias de café solúvel e torrado, que enfrentam escassez de café conilon no mercado em decorrência da quebra de safra do Espírito Santo, em decorrência da seca.

A grande pressão contrária à importação por parte de parlamentares da bancada capixaba no Congresso e de entidades de cafeicultores, como o Conselho Nacional do Café (CNC) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), tem levado o ministério a adiar a decisão final.

Link original: http://www.valor.com.br/agro/4855866/ate-temer-discute-importacao-de-cafe

Outras notícias

Consumo de café solúvel cresce 5,2% em 2023 no Brasil, para o recorde de 24,2 mil t

25 de janeiro de 2024

Esse é o oitavo ano consecutivo em que o consumo avança no país; exportação do segmento teve evolução mais discreta, de 0,4%, chegando a 86,5 mil t...

Abics forma primeiros profissionais para avaliação sensorial do café solúvel

15 de junho de 2023

Associação realizou curso de capacitação de IC Graders, que formou provadores com base na metodologia global de análise sensorial do produto desenv...

Upping the game in Instant Coffee

1 de junho de 2023

By Vanessa L Facenda / Tea & Coffee Trade Journal — A new methodology, the first of its kind, assesses the quality of instant coffee byits attr...

Exportação de café solúvel do Brasil cresce 29% em abril e 1% no ano

12 de maio de 2023

Setor é o único da cafeicultura nacional a apresentar desempenho positivo no primeiro quadrimestre de 2023 As exportações brasileiras de café so...
plugins premium WordPress